O segreto da
Zona Azul
de Nicoya

You are here

O segreto da Zona Azul de Nicoya

O que são Zonas Azuis? é uma atrativa pergunta explica que os habitantes de Guanacaste e sim dúvida contar com uma das cinco que existem no mundo é um orgulho para todos os habitantes da provincia. Compreende os 5 cantos da Península de Nicoya: Hojancha, Nandayure, Carrillo, Santa Cruz e Nicoya.

 

Se de definições se trata se definem como aquelas zonas geográficas que concentram populações com alta longevidade superior aos noventa e cem anos de idade Existem 5 Zonas Azuis no planeta, uma se localiza na Península de Nicoya e completam a lista Cerdeña Itália; Okinawa Japão, Loma Linda Estados Unidos e Icaria Grecia e a Península de Nicoya em Costa Rica.

Existem fatores que coincidem em dichas populações como a boa saúde física e mental, tradição alimentaria saudável , respeto ä união familiar, sólida fé e espiritualidade, movilidade constante e um propósito de vida.

Se bem a longevidade saudável se concentra na Zona Azul, mais bem apresenta um desafío para que mais além dos redutos se pode estender populacionalmente já que gozar de boas condições de saúde não devería depender de fatores económicos ou tecnológicos, mais bem de “fatores protetores” presentes de maneira evidente e comprovada nesta zona que incluem a boa saúde física e mental; o apego a uma tradição alimentaria; um forte fé e espiritualidade; o apoio e respeito das redes familiares misturadas com a intergeneracionalidade onde os netos compartilham conhecimento e tiempo com os avôs; uma atividade física de movilidade constante e um propósito de vida unida à espiritualidade.

Estes fatores se encontram presentes em alguma medida nas outras quatro zonas azuis do mundo, segundo validam os expertos mundiais que participarão do Encontro Mundial em Nicoya a meados de novembro.

Para a Organização Mundial da Salud “o envelhecimento ativo ou positivo é o proceso de optimização das oportunidades de saúde, participação e segurança com o fim de melhorar a qualidade de vida a medida que as pessoas envelhecem”.

Não obstante, mais além deste contexto, as autoridades de saúde realizam esforços para que os ticos alcancem idades superiores aos 80 anos com boa saúde. Sem dúvida a informação e os exemplos a seguir provenientes dos habitantes dla Zona Azul de Nicoya são altamente valiosos para emular alguns hábitos de vida e plantar a semente azul em todo o país.

 

O concepto de Zonas Azules surgiu à partir de uma série de trabalhos demográficos e estadísticos de Gianni Pes e Michael Poulain, mas se deram a conhecer mundialmente a partir dos trabalhos de pesquisa periodísticos de Dan Buettner junto a uma equipe de National Geographic e a publicação de seu livro “The Blue Zones”.

Em uma das visitas mais recentes de Buettner a Costa Rica, este definiu as Zonas Azuis como “um conceito do estilo de vida e o meio ambiente que produz longevidade. São lugares onde as pessoas se trasladam caminhando mais que em carro, comem mais plantas que carne em uma dieta que inclue feijões ou grãos como milho, onde a familia é sua razão de ser e é o número um. Têm grupos de amigos com os que dividem hábitos saudáveis”.

A “Zona Azul” da Península de Nicoya, destaca pela beleza de suas paisagens, seus atrativos turísticos, suas Áreas de Conservação mas ante todo, pelas historias que narram as pessoas longevas que habitam a zona, quem hão superado a média de expectativa de vida de Costa Rica e continuam com lucidez, atividade e desfrutando uma longevidade saudável.

Atualmente três exemplos emblemáticos desta “Zona Azul” são os centenários José Bonifacio “Pachito” Villegas, de Pochote de Quebrada Honda, Nicoya, quem a seus 100 anos monta a cavalos todos os días; dona Trinidad Espinoza, a seus 101 anos não para de contar anedotas da Costa Rica dos anos trinta enquanto alimenta a suas galinhas e Sr Dámaso Mendoza -de 102 anos-, quem ao receber uma visita, sempre narra seus anos de bailaríno e como desfruta a compania das cinco gerações de sua familia en Santa Ana de Belén de Carrillo. A ellos se sumam 42 centenarios mais da Península de Nicoya localizados nos 5 cantos azuis: Nicoya, Santa Cruz, Hojancha, Nandayure e Carrillo (segundo dados de Jorge Vindas, Pesquisador de campo da Associação Península de Nicoya Zona Azul).

A partir dos dados mais recentes do Ministério de Saúde, esta zona estará pintada de azul por muitos anos, já que se registram mais de 900 idosos de 90 anos e mais 5.000 habitantes com mais de 75 anos, quem em sua grande maioría gozam de uma longevidade saudável.

Segundo dados do Ministério de Saúde, a esperança de vida em Costa Rica é perto aos 80 anos e é mais alta de Centroamérica segundo o Banco Mundial.

Complementariamente os estudios do demógrafo costarricense, Dr. Luis Rosero Bixby demostraron que a mortalidade dos habitantes de 90 anos da Península de Nicoya é um 10 % mais baixa que a dos costarriquenhos de 90 anos em geral no resto do país. “Os cinco cantos da Península aparecíam recorrente com uma longevidade maior e por onde fosse que cavassémos se confirmava isto. Não somente vivíam mais anos, seu metabolismo era melhor, os níveis de deterioramento cognitivo eram menores e seu funcionalidade era maior. Me sento sortudo de ter alcançado encontrar esta informação mesmo o mérito não é meu, mais bem é dos adultos maiores, isso esteve aí por muitos anos, mas eu notei esta particularidade nos dados” resumiu Rosero Bixby, um pioneiro em pesquisas sobre longevidade.

Também os centenários da Península de Nicoya despertaram o interesse do Instituto de Estudos Sociais em Populaçao (IDESPO) de Universidade Nacional para desenvolver um estudo durante este ano sobre este tema. Paralelamente o ICT pôs atenção no conceito de Zona Azul como parte de sua estrategia de turismo de bem estar como um elemento diferenciador da promoção de destino e o Ministerio de Cultura e Juventude associou aos longevos como os portadores de tradição que podem contribuir a resgatá-la para as novas gerações

Esta Zonas Azul tem una direta com a promoção turística del país, pois se amolda com o turismo de bem estar e consiste na decisão de ampliar a oferta turística e incursionar em industrias com grande potencial como o turismo de bem estar, foi pelo que o Instituto Costarriquenho de Turismo lançou la estrategia país Wellness Pura Vida, com a que se busca posicionar a Costa Rica como um destino de bem estar, diferenciado, que oferece experiencias únicas e transformadoras, O contar com uma Zona Azul contribui a consolidar a um país em constante busca da qualidade de vida dos costarriquenhos e dos turistas

“Ano com ano nossas pesquisas demostram que os ticos são o fator diferenciador de destino e sem dúvida sempre é uma experiência maravilhosa compartilhar com a población longeva. A Zonas Azul da Península de Nicoya además de alinear-se com nossa estrategia Wellness Pura Vida, para impulsar o turismo de bem estar por todo o país, destacando a importancia de gerar experiências auténticas de viagem. Os longevos centenários nos ensinam o valor das pequenas grandes coisas” expressou com orgulho, Mauricio Ventura, Ministro de Turismo.

 

A meados de novembro de 2017 teve lugar o primeiro Encontro Mundial de Zonas Azuis. Por primeira vez a história os mais destacados pesquisadores do mundo sobre tema das Zonas Azuis compartiram seu conhecimento e pesquisas mais recentes. A destacada lista incluiu aos pioneiros pesquisadores sobre o tema, Michel Poulain de Bélgica; Dr. Gianni Mario Pes e Paolo Francalacci, ambos de Cerdeña Italia; Cristina Chrysohoou de Icaria, Grecia; Makoto Suzuki de Okinawa Japón; Gina Siapco de Loma Linda, Estados Unidos e Diego Bernardini de Argentina.

Entre os convidados internacionais também esteve presente o periodista e pesquisador de National Geographic, Dan Buettner, responsável de popularizar no mundo o conceito das Zonas Azules mediante da publicação de varios artígos e livros catalogados best sellers sobre cómo este tema tem uma conexão direta com a alimentação, a espiritualidade, uma razão de viver, o exercicio físico e a felicidade como um elemento transversal.

Também se compartilharam os resultados de pesquisas realizadas pelo demógrafo Luis Rosero e a doutora Elizabeth Lopez, ambos de origem costarriquenha, foram o que realizaram significativas contribuições sobre a longevidade saudável Ademais se aproveitou para desvelar o estudo mais recente sobre longevidade realizado pelo Instituto de Estudios Sociais em População (IDESPO) da Universidad Nacional de Costa Rica.

Todos os expertos internacionais coincidiram na necessidade de comunicar o mundo os fatores que fazem possível uma longevidade saudável e para reflexionar sobre o processo que conllevan as Zonas Azuis como espaços geográficos singulares no mundo com alta concentração de habitantes de noventa e cem anos que alcançam lchegar a estas idades gozando de um envelhecimiento positivo, mas ante todo lúcido e ativo.

 

A partir desta necessidade como resultado do Encontro se estabelecerá uma Rede Internacional de Longevidade Saudável que será liderada desde Costa Rica para “construir conjuntamente conhecumento”, segundo compartilhou Montero. Também se estabelecerão algumas características comuns para determinar se no futuro perto eventualmente possar agregar Zonas Azuis adicionais no mundo.

O periodista Dan Buettner concluiu que “é um orgulho enorme ver os resultados de cómo a ideia de pesquisar sobre o tema da longevidade que surgiu faz quinze anos se ve materializada na reunião dos grandes científicos pesquisadores sobre o tema das Zonas Azuis”. Agregó que devemos de alguna forma emular, duplicar ou copiar o estilo de vida dos centenarios e sua maneira de viver, mas ante todo seu meio ambiente, sua dieta, a actividade, mas ante todos as conexões que estabeleciam, humanas não tecnológicas”.

Segundo o investigador belga Michael Poulain, um das mensagens mais importantes do Encontro Mundial de Zonas Azulis é comunicar ao mundo que “Costa Rica possui um tesouro de longevidade na Península de Nicoya, que proveem das gerações passadas há sido construido ano atrás ano. Este tesouro inclui a atmósfera que os rodeia”. Concluiu instando de maneira enfática “por favor coloquem e mantenham à novas gerações pelo mesmo caminho em meio do tesouro desta Zonas Azul.

Paralelamente e com o propósito de gerar políticas públicas se firmou um Convenio Marco de Cooperação para estabelecer, promover e apoiar a Zona Azul da Península de Nicoya. Entre os compromissos adquiridos sobressai a promoção sustentável e equitativa da população de idosos e longevos, estabelecer uma agenda cultural afím, fortalecer o turismo rural, comunitario e sustentavel. Ademais impulsar mecanismos que desenvolvam boas práticas de promoção da saúde nos “cinco cantos azuis” da Península, fortalecer as redes de apoio, assim como incentivar o resgate de lições de vida e as tradições.

Dicho Convenio foi firmado pela Vicepresidenta da República, Ana Helena Chacón, ministerios e instituições de Governo e os Prefeitos Municipais dos cantos da Península de Nicoya: Nandayure, Hojancha, Carrillo, Santa Cruz e Nicoya. “Este encontro nos compromete a preservar esta Zona Azul mas ante tudo que tenha um efeito multiplicador e de ensino nos outros cantos do país” expressou Ana Monge, Comissionada do Conselho Social Presidencial do Goverrno de Costa Rica.

O Encontro Mundial de Zonas Azulis sentiu as bases para demostrar que “sim se pode” pensar em uma Costa Rica pintada de azul, tomando como referencia os hábitos saudáveis dos mais de 900 habitantes de 90 anos os centenários da Península de Nicoya que hão alcançado superar a expectativa de vida e servir como exemplo para o mundo inteiro, sem dúvida um reto para as novas generações e numa realidade onde la pirâmide populacional do mundo se inverte com o aumento de cada vez mais idosos

Planejando Sua Viagem Costa Rica

Logo